começo de meio de ano

Quando eu escrevi este post aqui, estava mais ou menos conformada em esperar uns meses (até acabar o mestrado) pra ver umas coisas mudarem na minha vida. Desde que voltei de viagem, não estou mais. É incrível como uns dias fora conseguem botar sangue no olho pra fazer as coisas. Foi quase um reveillón no meio do ano.

Então. Comecei a me mexer. Aos pouquinhos, tipo uma vez e meia por semana. O corpo reclama, os músculos doem, eu me acho horrível com roupa de ginástica e sinto muita vergonha alheia de mim mesma nas aulas de jump, mas no fim das contas me sinto melhor, e já consigo correr 3,5 km sem o coração ficar querendo sair pela boca. E acabei descobrindo umas coisas sobre mim, tipo que minha energia é mais limitada do que eu imaginava. Desde que comecei a me exercitar, chego em casa e tou prontinha pra dormir às 9 da noite. Esgotada mesmo. Não presto pra nada. Descobri também que hora de dormir e acordar é apenas uma questão de condicionamento. Eu, que sempre me achei super noturna, tou vendo o dia começar cada vez mais cedo, e tou vivendo quase OK com isso.

Voltei a desenhar e pintar também. Aos pouquinhos também, sem muito compromisso, mais pra desestressar a cabeça do que por qualquer outra coisa. Os encontros semanais na casa colorida (e linda e apaixonante e maravilhosa) de Simone Mendes estão sendo deliciosos, e acho que tou conseguindo me soltar um pouco. Comecei a tirar a poeira do meu blog de ilustração, que estava engavetado esse tempo todo, e já já tem coisa nova por lá.

E pra terminar, resolvi cuidar melhor dos meus lugarzinhos da internet. Dei uma repaginada no meu portfolio, coloquei alguns projetos novos e tou tentando usar um sistema (beeeeem solto, mas que tou achando mais ou menos coerente) de identidade visual pra o site, o blog de ilustração e este cantinho aqui. E sim, eu fiz isso como forma de procrastinação quando não estava com saco pra escrever o mestrado. Exatamente o que estou fazendo agora, escrevendo 500 palavras num blog em vez de escrever no capítulo de metodologia da dissertação. Sou FERA em procrastinação produtiva, beijos.

Ah, o mestrado? Vai médio, obrigada. Passei um bom tempo nos últimos dias mexendo na estrutura da dissertação, mamis me ajudou um bocado com essa parte. Agora tou quase satisfeita com a organização, e já comecei a preencher alguns buracos no texto. Mas a coisa ainda vai mais devagar do que eu gostaria. E de vez em quando me dá um abuso, e eu começo a achar tudo feio e mal escrito.

Fora que nunca mais vi os amigos (alguns estão na mesma canoa furada da dissertação). Não achei que isso fosse me fazer tanta falta, mas eu virei uma pessoa bem mais social de uns tempos pra cá (assunto pra outro post), e hoje só queria uma tarde de conversar potoca bebendo café, ou um happy-hour cheio de caipirinhas. Nem é pedir demais, vai. Mas minha consciência pesa quando eu fico querendo sair e viver, porque ainda tem tanto a ser feito. E eu só quero terminar logo pra fazer coisa mais interessante da vida.

Conclusão disso tudo: preciso viajar mais, e preciso sempre ter um projeto enorme e impossível pra procrastinar fazendo mini-coisas legais.

(soundtrack: Cat Power – Cherokee)

Anúncios

2 respostas em “começo de meio de ano

  1. Entendo completamente isso… eu sou muito preguiçosa, começo muitas coisas e termino poucas rs Quanto aos exercícios, eu não corro mais, prefiro andar de bicicleta ou elíptico, agora estou pensando em pular corda. Acho muito chato correr.

    Kisu!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s