15 coisas aleatórias sobre mim

– não sei dirigir. Quando tinha uns 15, 16 anos, o que eu mais queria era ter 18 anos e aprender. Mas quando cheguei nos 18 e tava na hora de fazer auto-escola, mudei de cidade, comecei a estudar and trabalhar and andar de ônibus. E vivo muito bem assim. Hoje só quero ter um carro se ele sair completamente de graça pra mim (IPVA, seguro, combustível, revisão, multa, tou fora), mas ainda esse ano arrumo tempo e vergonha-na-cara e aprendo a dirigir, pra levar Namorado de volta pra casa depois de algumas cervejas.

– adoro um friozinho, artigo raro em Hellcife ultimamente. Me senti extremamente bem em SP no início do ano, de cachecol, meia-calça e casaquinho.

– mas também adoro uma praia, coisa de menina baiana criada a duas quadras do mar. Adoro comida de praia, água-de-côco, moqueca de peixe, camarão, petisquinhos de cabana de praia. Sinto a maior falta disso.

– não consigo gastar dinheiro com salão de beleza. Sério mesmo, acho um desperdício, só recorro quando quero fazer alguma coisa ultra-mega-difícil no cabelo, que não dá pra fazer eu mesma. E que dure um bom tempo. Mas sou vaidosa, adoro coisas-de-mulherzinha. Adoro hidratante, esmalte vermelho, maquiagem, prendedores-de-cabelo, perfume bom. Só não pago um absurdo por isso (ok, abre aí uma exceção pro perfume).

– quando era mais nova, eu era super mão-fechada. Qualquer 50 reais conseguia passar 1 ano na minha mão sem eu mexer. Ultimamente tou mais auto-indulgente e me rendendo a pequenos prazeres como comer num lugar legal, comprar coisinhas bonitas pra casa, ir num show de música boa. Ainda me acho equilibrada, meu cartão de crédito nunca saiu do controle. E sei pechinchar, quando dá, herança do meu avô.

– Jogo de futebol me dá sono. Não consigo assistir 10 minutos sem dormir, ou levantar pra fazer outra coisa. A menos que seja Copa do Mundo. Acho que algo acontece no país inteiro que transforma até os mais anti-esportistas em torcedores animados (e sofredores, às vezes). Minha primeira lembrança de um jogo da Copa foi a final de 94, Brasil e Itália. Lembro de um gol de pênalti que alguém fez, e da comemoração do Bebeto. Eu tinha 6 anos.

– tenho dificuldade em comentar em blogs. Em parte, gosto da idéia de ver sem ser vista, ainda que no fim, eu seja mais um número no contador. Tem também a coisa do “não tenho opinião formada sobre o tema”, ou “tanta coisa na internet pra ser lida e eu aqui perdendo tempo comentando”, ou simplesmente “tou com preguiça de escrever qualquer coisa”. Talvez por causa disso, tou lendo bem menos blogs onde comentário é sinal de carinho. Ajuda a não pesar a consciência.

– adoro escrever no Bloco de Notas. Mais do que na caixinha do WordPress. Mais do que no papel (a propósito, este post nasceu no Bloco de Notas). Gosto de escrever ouvindo música também, mas aí não pode ser em português, porque me confunde. E gosto de escrever à meia-luz.

– a propósito, odeio luz forte em cima de mim. Principalmente aquelas brancas fosforescentes. Já passo o dia todo embaixo de luz branca no estágio, no fim do dia meus olhos precisam de um descanso.

– ainda sobre luz, gosto de brincar com ela. Tornar a luz colorida, mais forte, mais suave, refletir, esconder, um dos meus trabalhos da faculdade foi uma luminária de alumínio cheia de furinhos, dá um efeito interessante na parede. Adoro velas também, e o efeito que elas dão ao ambiente. Principalmente as que tem cheirinho. Sim, eu sou romântica.

– mas em um ano e pouco de namoro, não dei apelidinhos fofos pra Namorado. Eventualmente, chamo de meu amor. E só. Acho que me sentiria muito idiota chamando qualquer pessoa de “meu ursinho”, “meu txutxuquinho” ou coisas afins. Mas a gente brinca com essas coisas. Ontem ele me chamou de “minha amebinha”. Levou tapa.

– me sinto completamente desprotegida sem meu caderninho de notas aleatórias. Quando não levo ele comigo, fica aquela sensação ruim de que a qualquer momento vou ter uma idéia, e não tenho onde colocar, e ela vai se perder. E escrevo de tudo no caderninho: to-do lists, planejamentos financeiros mensais ou específicos pra uma coisa (que acabo não cumprindo), listas de compras, resoluções de ano-novo, como tou me sentindo naquele exato momento, layouts de página, e às vezes um “eu te amo”, que deixo na mesa de Namorado (mas isso é raro, odeio arrancar páginas).

– gosto de reler as coisas que escrevi, e normalmente gosto do que escrevo.

– ultimamente tou pensando tudo em listas e tópicos. Deve ser uma necessidade urgente de me organizar e compartimentalizar as coisas, senão eu enlouqueço. espero não estar desenvolvendo um estágio inicial de TOC.

– tenho uma certa agonia de números pares, por isso são 15 coisas aleaórias, e não 14. (isso evidenciaria um estágio inicial de TOC?)

(soundtrack: David Bowie – Space Oddity)

Anúncios

Uma resposta em “15 coisas aleatórias sobre mim

  1. sim, isso é o começo do TOC, mas isso não é novidade.
    Não dê cabimento (minha avó fala assim) pra esses apelidos, começa por amebinha e depois vira coisa pior – experiência própria.
    Um dia eu crio coragem e me organizo, esse meu dom já protagonizou alguns projetos de briga com o então Sr. Organizado- Felipe, mas se todo mundo fosse organizado seria muito chato.

    inté

    –gostei mais desse layout.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s