love, love, love

Sabe, faz pouco menos de um ano que aprendi a conviver com declarações de amor. Não essas estratosféricas, expressionistas, escandalosas e quase sempre desastrosas. Não. A primeira vez que ouvi sair um “te amo, sabia?” dos lábios tímidos de Namorado, foi num dia em que ele nem precisava ter dito, porque dava pra sentir o amor em cada abraço, em cada afago, nos trequinhos de pelúcia que ele comprou porque me viu gostar, na saudade de 10 dias longe sendo matada com requintes de crueldade, no jeito como ele me olhava, sorrindo o tempo todo. E ainda assim, quando escutei as três palavrinhas mágicas, meu coração pareceu que ia sair voando, de tão rápido que batia. E aí eu percebi que ia ser assim o amor da gente. Delicado e até meio tímido por fora, mas com uma intensidade enorme.

A gente não comemorou 1 ano juntos ainda. A data de verdade já passou, e a gente vive falando que “tem que sair pra comemorar”. Mas (eu nem disse isso pra ele ainda) a gente já se curte tanto o tempo todo, e é tão gostoso sempre, que não precisa ele me levar num restaurante chiquetérrimo e pagar uma fortuna num prato que a gente não vai saber nem o nome nem o que tem nele direito. Sim, eu ia adorar, de qualquer maneira. Mas semana passada ele foi lá em casa dar um jeito no mau-contato de algumas das todas as minhas tomadas. E não achou horrível a lasanha que eu fiz (receita de mamãe, cláaaassica), mesmo ela tendo ficado paradoxalmente queimada no fundo e meio durinha na parte que conseguimos comer. E a gente dançou um dia desses, numa festa. Músicas fofinhas de 1960’s. Eu de vestidinho rodado, ele com o perfume que eu amo. E sim, mesmo com aquele tamanho todo, he’s got the moves, e me segura de um jeito irresistivelmente sexy quando a gente dança. E ele me deu Para Francisco de presente, justo quando eu estava prestes a comprar. E me levou pra comer sushi, porque eu cismei que queria sushi, e, mesmo sem a fome habitual que a gente cultiva normalmente antes de um rodízio de sushi, estava uma delícia.

Não, não tô querendo contar vantagem e dizer “olha só como meu namorado é o máximo, la-la-la-la, eu tenho e vocês nã-ão”. Foi só essa percepção que eu tive que um amor não é feito de datas especiais e esforços sobre-humanos pra impressionar, e que não é preciso também sair gritando pro mundo inteiro coisas que é bem mais gostoso falar no ouvido. Basta mostrar que ama. Bastam esses mimos, essas atençõezinhas pequenas e inesperadas, e um “te amo, sabia?” seguido de um abraço aconchegante e um monte de beijos.

(aliás, B, eu amo seu abraço grande que me contém inteirinha dentro de você.)

(soundtrack: Nouvelle Vague – Dance With Me)

Anúncios

7 respostas em “love, love, love

  1. B. consegue abraçar vc inteirinha, dona menina, até na vertical. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    tão lindo esse post. a parte da dança foi tão perfeitamente escrita…
    e B. já ganhou o título de lord, né? claro que fael tbm merece (eita que namorada babona).

    ps. eu acho que vc ficou com vonatde de comer sushi desde que vc etsava aqui. a gente viu, pensou em ir e não fomos. ;)

    segunda eu cheeeeeeego. êeeeeeeeee

  2. Não é que vc está tentando passar vontade, e não é que eu estou com inveja tb não, mas bem que eu qria um amor assim hein…tou cansada dessa história de, pra ser amor, ter que gritar aos quatro ventos.

    ;)

    ‘Cuide bem do seu amor…’

  3. own que fofa e apaixonada ^^ muito fofo vocês dois =3
    agora a parte do “E ele me deu Para Francisco de presente, …” ficou estranho heheheh quem pega a conversa da metade, e não sabe que se trata de um livro, pode interpretar errado. Quando eu li fiquei rindo sozinha essa hora, “Que história é essa de dar minha amiga de presente para esse tal de Francisco? Seu cabra safado!!!” coisa do tipo hfjdksfhsf

  4. É verdade, faltou o link, e ficou parecendo que ele deu você de presente para Francisco! hhuahuahuahuahuahuahua

    É bom demais amar… e ser amada. Eu sei.

    Beijo, fiote, saudadona!

  5. Obrigada pela visita, pelo comentário e pela dica! ;)
    Estou lendo aquele blog até o final (ou começo, enfim), e intercalando com a leitura do seu. Porque eu também leio tudo quando acho legal. E aí tem umas dicas legais de outros blogs no seu, então agora tenho trinta e sete mil coisas pra ler, ê!

  6. Que lindo!
    Que lindo!

    E eu tô extremamente feliz por estar vivendo sensações como essas suas.

    Caio e eu voltamos. E voltamos com um gostinho de novo, mesmo com toda maturidade adquirida ao longo dos anos, e meses, que se passaram.

    Queria que pudéssemos sair nós quatro juntos. As pessoas iriam abrir sorriso ao notar tantos amores andando de mãos dadas.

    Cheiro. ;*****~

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s