soa familiar?

Tô cansada. E essa vez não é igual a todas as outras, sabe quando você olha o calendário e até dali a seis meses tem atribuições, compromissos, lugares pra estar, pessoas pra encontrar, coisas, coisas, coisas e não acaba nunca? Então. E o mais estranho de tudo é que não são coisas ruins, muito pelo contrário. Mas tem horas que eu só queria ficar quieta, em paz, ler meus livros direito, fazer coisas que eram tão triviais um tempo atrás, como costurar, gravar cds de música, arrumar o guarda-roupa, botar um lápis em cima de um papel pra desenhar, e não pra fazer listas do que tem que fazer, e olhando o saldo no banco, e olhando e-mails, e me preocupando (vejam só!) em ver tudo que tem atualizado no reader. E minha mente vai ficando superaquecida, e deixa o corpo cansado, aí não sobra ânimo pra nada, e parece que tô vivendo meio que num limbo. Esperando a vida passar e fazendo listas.

Tenho pra fazer, de concreto, até domingo: duas apresentações pra montar pra a cadeira de segunda, uma excursão à loja de papéis favorita pra o projeto da cadeira de terça, uma ida à praia pra medir coisas pro projeto da cadeira de quinta e só. Nada absurdo, nada ruim, tudo coisas que eu gosto (menos uma das apresentações, que vai ser mesmo um saco). Por quê então essa agonia, essa sensação de que não vai dar?

Namorado ontem me abraçou e sentiu meu coração bater muito rápido. Não tinha motivo pra isso. Eu disse a ele que era assim mesmo, que meu coração sempre bate mais rápido que o normal, que eu sou hiperativa até nisso. Mas ficou aquela coisa estranha. Não era pra estar assim, nada era pra estar assim. Eu queria parar de pensar, achar o botão on/off do cérebro, pra ver se me aquietava um pouco. Porque respirar não adianta, tomar chazinho de camomila não adianta, dormir com velinhas perfumadas não adianta. E ainda tenho as coisas pra fazer. Saco.

(by the way, o período acaba em um mês. Já tô achando muito.)

Anúncios

3 respostas em “soa familiar?

  1. aH… sei BEM como é isso. Adoro vida assim, com listas, lugares para estar, coisas para fazer, datas, prazos apertados… terminou por se tornar minha rotina, meu modo normal de operar. Aos poucos foi tendo mais coisa, e mais coisa, e foi aumentando o ritmo aos poucos, até chegar em uma fadiga que não sei de onde veio e não tem previsão para o fim.
    O negócio é chegar em um acordo com você mesma, fazer listas mesmo, e a cada tarefa cumprida passar um traço gigante e com gosto no papel.
    Também queria ter tempo para ler meus livros, são tantos. Queria ter tempo para desenhar coisas despretenciosas, que não fossem o layout de nada.
    Mas no fim, não podemos negar que gosto dessa correria, na verdade, não sei mais viver sem ela…
    tira uma tarde, descansa, que você renderá muito mais depois, uma coisa que vc levaria a tarde inteira para fazer, termina fazendo em 2hs depois de um descanso =****
    saudades e te cuida =****

  2. Respira fundo e diga “uuuuuuuuuuuuuuuuuuuuusfraba” nao sei deve ajudar hahaahahah

    Vida dificil hein? Nas raras idas a faculdade nunca mais lhe ví no jardin cult do CAC manifeste-se jovem hehehe

    Bjos mocinha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s