season finale

Ontem de madrugada chorei um bocado. Eram umas 5 da manhã (a minha hora do dia), e não tinha sono certo pra me fazer parar com o vício. Último episódio da última temporada de Gilmore Girls. Gente, foi intenso. Não só porque a season finale foi incrivelmente fofa, mas pelo que aconteceu na minha cabeça. Não sei bem como foi, mas de repente era eu ali, indo embora de casa, me formando, terminando com Logan, planejando com minha mãe um roller-coaster tour que não vai acontecer… Aí deu pra ver muita coisa que eu vou sentir um dia, e foi assustador. Ou vai ser ainda, sei lá. Vi – de novo – como sou incrivelmente neurótica, e como a falta do que fazer, e mais ainda, de ter com o que me preocupar, me deixa ainda pior. É esse o problema das férias…
Eu não queria ter tanto tempo sobrando pra pensar no tanto de coisas que eu deixei de lado. Como eu me tornei anti-social, como perdi contato com pessoas importantíssimas que me fazem uma falta enorme, e agora simplesmente não dá pra voltar, não tem clima. nem motivo, na verdade. nem assunto.

Eu não queria ficar triste. Eu não queria que esss coisas todas ficassem gritando na minha cabeça. Eu não queria ficar melancólica toda vez que ando na praia, ou toda vez que vejo GG, ou toda vez que passo por um lugar onde aconteceu alguma coisa boa e distante. Semana passada, por exemplo, me vi quase chorando na AABB, de saudade da turma de 3o ano, porque nossa última reflexão (passeio de fim de ano com a turma toda) tinha sido lá, e foi memorável.

Eu não queria ter que me livrar de tudo isso um dia, porque sou idiota e sentimental em tudo o que se refere a lembranças. Mas vai acontecer, tem que acontecer, senão eu não aguento o peso. Talvez o pior seja pensar que nada num futuro próximo pode ser a longo prazo. Não tem como durar. Eu sempre vou ter que ir embora, sempre vou ter essas escolhas torturantes pra fazer, e a certeza de ter feito a coisa certa não vai bastar, eu vou sempre me encher de saudades e histórias impossíveis.

Eu quero só, agora, que as aulas recomecem, e me dêem motivos pra me preocupar, e me afastem dos meus fantasmas. Quero que a temporada comece. Quero ficar com a cabeça cheia de coisas importantes e urgentes. Eu entendo os workaholics. Acho que sou uma.

Eu não queria ser tão cheia de neuras, e nem queria me entender tanto. é como se tivesse um analista, desses que adivinham tudo, dentro da minha cabeça. é perturbador. Eu queria conseguir virar as costas. eu queria não querer saber. Eu queria chorar mais, do jeito que foi a madrugada de ontem, porque depois de tudo, fui dormir com uma calma enorme e uma saudade imensa não sei do quê. Chorar bem muito, até tudo ir embora e só ficar o presente. Aí eu viveria o presente e ponto. Eu acho que estou pirando.
(soundtrack: Sam Phillips – How To Dream)
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s