coisa de fã

Era já de se esperar que eu respirasse Chico, depois de todas as preciosidades que mamãe mandou semana passada. Daqui a pouco, já vou poder dizer que realmente conheço meu amor. Aí ontem, durante minha hibernação fim-de-semânica, vou assistir O Futebol. E descobri, lá pelo meio do filme, a música perfeita pra abrir o show Carioca. Não, não quero dizer que foi ruim a escolha das músicas, nada disso. Até porque foi emocionante ouvi-lo cantar Voltei a Cantar, de Lamartine Babo. Mas de um jeito ou de outro, como toda boa fã, senti falta de muita coisa. E a música não era dele. Essa que eu achei é. Só imaginei a cortina subindo e as luzes acendendo, na parte que diz “acenda o refletor, apure o tamborim”. Perfeito. Alem do quê, essa música é de um otimismo incrível, exatamente o que eu estava precisando nesses dias atropelados em que tudo parece estar perdido (ooooh, que drama!).


Chico me inspira. E pelo menos dessa vez, a inspiração ultrapassou as palavras e as paixõezinhas, e vai dar em algo que preste. Estou tentando convencer minha dupla do trabalho de serigrafia a fazermos um cartaz pra a peça “O Grande Circo Místico”, de Chico e Edu Lobo. Quem dera fosse de verdade, e que o espetáculo fosse mesmo entrar em cartaz. Mas esse projeto gráfico me deu mais prazer do que qualquer outra coisa poderia no momento.
Então, deixa ele cantar.

Pensou que eu nao vinha mais, pensou
Cansou de esperar por mim
Acenda o refletor
Apure o tamborim
Aqui é o meu lugar
Eu vim

Fechou o tempo, o salão fechou
Mas eu entro mesmo assim
Acenda o refletor
Apure o tamborim
Aqui é o meu lugar
Eu vim

Eu sei que fui um impostor
Hipócrita querendo renegar seu amor
Porém me deixe ao menos ser
Pela última vez o seu compositor

Quem vibrou nas minhas mãos
Não vai me largar assim
Acenda o refletor
Apure o tamborim
Preciso lhe falar
Eu vim

Com a flor
Dos acordes que você
Brotando cantou pra mim
Acenda o refletor
Apure o tamborim
Aqui é o meu lugar
Eu vim

Eu era sem tirar nem pôr
Um pobre de espírito ao desdenhar seu valor
Porém meu samba, o trunfo é seu
Pois quando de uma vez por todas
Eu me for
E o silêncio me abraçar
Você sambará sem mim
Acenda o refletor
Apure o tamborim
Aqui é o meu lugar
Eu vim


(soundtrack: Chico Buarque – De Volta ao Samba)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s