come here

Não vou nem me estender sobre o meu sábado delicioso, o dia em que só fiz coisas que gostava, desde me espreguiçar na cama sentindo o friozinho que gosto tanto até ir a 2 cinemas – é, 2 filmes muitíssimo esperados em 2 cinemas diferentes. Não sei dizer qual foi melhor, Pequena Miss Sunshine ou O Labirinto do Fauno. Os dois são histórias de menininhas, cada uma com seus sonhos e suas tragédias, e que encaram a vida de uma maneira parecida, mesmo que pareça totalmente diferente. Olive e Ofelia me cativaram (engraçado, as duas começam com O!). Uma me fez quase entrar numa crise descontrolada de riso dentro do cinema, a outra quase me fez chorar. Trilhas sonoras belíssimas, que eu escutaria de olhos fechados se naõ tivessem fotografias também tão boas. E outra coisa que quase me surpreendeu foi ver, nos dois filmes, as sessões lotadas. Sessões de arte, diga-se de passagem, que mídia nenhuma divulga. Quer dizer, as pessoas procuraram mesmo a chance de assistir a filmes bons que estão fora do circuito comercial (eu inclusive, que já estou começando a achar que tenho faro bom pra essas coisas, desde o dia de Almodóvar), o que mostra que nem tudo no mundo está perdido. O Cinema da Fundação, onde assisti O Labirinto do Fauno, me cativou também. O ambiente é extremamente charmoso, com cara de cinema antigo, mas muitíssimo bem cuidado. Espero chegar lá num dia em que o café esteja aberto.

Mas não vim aqui pra isso (é impressionante como eu perco o foco rápido!). Na verdade, queria só dizer da alegriazinha besta, que completou meu dia:


There’s a wind that blows in from the north.
And it says that loving takes this course.
Come here. Come here.

No I’m not impossible to touch
I have never wanted you so much.
Come here. Come here.

Have I never laid down by your side.
Baby, let’s forget about this pride.
Come here. Come here.

Well I’m in no hurry.
Don’t have to run away this time.
I know you’re timid.
But it’s gonna be all right this time.

(Kath Bloom – Come Here)

Quando vi pela primeira vez Antes do Amanhecer, fiquei apaixonada pela música que tocou na cabine da loja de discos de Viena, e algumas vezes depois durante o filme. Passei dias tentando baixar, mas nunca tinha fontes suficientes. Esqueci, com aquela pontinha de frustração. Até que, esses dias, vi a letra no blog da Aninna, e morri de saudade. Lembrei de novo, e dessa vez, com o e-Mule recém-instalado só por causa dela, consegui. E já decorei a letra, que é a coisa mais fofa, de tanto escutar um milhão de vezes, sorrindo de olhos fechados. Eu sou tão boba.

Photobucket - Video and Image Hosting
antes do amanhecer


(soundtrack: adivinhem!)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s