outro post de saudade

Dessa vez não é saudade de alguma coisa da infância, nem de um amor que está longe, nem de uma música… nenhuma situação, pessoa, época, sensação, nada disso.

É uma saudade enorme das madeixas que deixei pelo chão, em Recife e aqui. Num acesso de sei lá o quê (não era de raiva, com certeza, porque estava lindo), inventei de cortar o cabelo sozinha. Pra provar que sabia, pra experimentar, porque li em algum lugar que mulher pequena não combina com cabelo grande, pra chegar diferente em Ilhéus e dar um susto em todo mundo, minha mãe principalmente, porque sim. Porque sim não é resposta… Me arrependi amargamente, sério. Apesar dos elogios, do tanto de gente dizendo que tá lindo. Linda eu sou de qualquer jeito, ora bolas!

Tá, ruim não ficou. Mas também não ficou bom, não melhor do que estava. Não dá pra fazer quase nada diferente, o infeliz não me obedece, nem com toneladas de gel e horas debaixo do secador. Não me sinto mais tão irresistível, não dá mais pra fazer aquele charminho que eu sabia tão bem, me escondendo atrás dele ou puxando pra aparecer aquela metade do pescoço com a pintinha incrivelmente sexy (é, eu tenho uma pintinha bem no meio do pescoço, e acho mesmo incrivelmente sexy). Fiquei meio avessa aos flashes depois da mudança… fora que tô parecendo uma menininha, especialmente quando tem uma florzinha de crochê lutando pra ficar firme nesse cabelo escorregadio e agora sem ondas. Deu saudade também das ondinhas que ele teve por quase um ano, e eu passei a tesoura sem dó nem piedade (mas tava precisando mesmo, na época tava mais enorme do que se podia aguentar). Nem que eu quisesse dava pra fazer de novo com esse pingo de cabelo de agora…

Tá, mudar faz bem de vez em quando. Mas a frase já diz, é de vez em quando!! E como Murphy é meu amigo, minhas chances de acertar o quando eram mínimas, eu devia saber… A parte boa é que o banho é bem mais rápido, e se eu quiser sair com o cabelo totalmente assanhado direto do chuveiro pra uma festa, fica até interessante. Ressaltou meu ar inteligente (leia-se: de quem só se preocupa com a aparência o mínimo possível, e só tem cabelo pra não chocar todo mundo na rua, porque é uma parte do corpo totalmente dispensável – definitivamente não é o meu caso) e cult… mas e daí? Fiquei com uma franjinha incontrolável e me odeio quando acordo. Graaaande idéia.

Alguém tem alguma fórmula milagrosa pra minhas melenas castanhas crescerem bem muito rápido? Ou um jeito de catar meus fiozinhos por aí e colar de volta?… Li esses dias que a Jennifer Aniston passou um tempo usando shampoo de crina de cavalo, pra o cabelo crescer. Será que presta?

volta, amor!

(soundtrack: Chico Buarque – Vai Passar (mas “vai crescer” se aplicaria melhor…))

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s